Aimee Semple | História da Igreja | Harold Willians | Igreja no Brasil | Declaração de Fé | Símbolos | Buscar Igrejas
     
Menu_01 Menu_01 Menu_01


Homens

   

O grupo de homens é um dos departamentos mais importantes da igreja, pois o homem, na sua condição de cabeça do lar, chefe da família, representa um papel muito importante na igreja. Portanto se investirmos no trabalho com os homens, estaremos trabalhando com toda sua família, e a igreja é composta por famílias.

Os homens são uma grande potencia dentro da Igreja.

Através do GMH a igreja estará oferecendo uma oportunidade de crescimento espiritual, um despertar para o trabalho na obra de Deus, descobrimentos de talentos, oportunidades para aprender sobre temas específicos aos homens, além da unidade e do amor fraternal, que será bem maior entre homens da Igreja. Isto tudo somado vai gerar um crescimento e uma estrutura muito grande para os homens e toda a igreja.

“Ganhar Homens é ganhar famílias, estruturar homens é estruturar famílias.”

 

1. O que é GMH?

O Grupo Missionário de Homens - GMH - é um departamento missionário da igreja, com objetivo de reunir, evangelizar e ensinar todos os homens, procurando treiná-los para servir o nosso Senhor Jesus Cristo e Sua obra.

2. Objetivos

Comunicação - Através das reuniões, promover uma maior comunhão entre os irmãos;
Edificação - Procurar edificar aqueles que já foram salvos por Cristo, para que cresçam no conhecimento de Deus;
Evangelização - Alcançar todos os que não conhecem Cristo, levando a mensagem de salvação;
Oração - Conscientizar todos os sócios de a necessidade de orar e cultivar uma vida diária de oração e busca do poder de Deus;
Serviço - Despertar em cada irmão o desejo de servir Deus e sua igreja, envolvendo-se nos trabalhos do GMH e demais áreas de atuação, tais como: Guerreiros de Oração, Diaconato, EBQ, Discipulado e outros.

3. Os sócios.

O Grupo Missionário de Homens é composto por homens a partir de 35 anos, denominados sócios ativos e auxiliares. Ativos são membros da igreja e freqüentam regularmente os trabalhos. Auxiliares são aqueles que, mesmo não pertencendo à igreja, cooperam com as mensalidades e em atividades especiais.
Os sócios do GMH devem contribuir com uma taxa mensal no valor estipulado pelo Grupo.
Para a organização, deve haver, pelo menos, 10 membros interessados no trabalho.
Na igreja em que não existir Grupo Missionário de Jovens, estes poderão trabalhar com o GMH.

4. Diretoria

4.1- Presidente

Líder geral do Grupo. Escolhido pelo pastor local e credenciado pela coordenadoria regional. A ele compete a direção de tudo o que acontece. Deve ser responsável, dedicado, amável, cordial e submisso ao pastor. Dentre suas responsabilidades estão:
• Traçar planos - Reunir a diretoria periodicamente para elaboração de planos de trabalho, cultos especiais, campanhas, gincanas e demais programações que contribuam para o crescimento do Grupo;
• Delegar responsabilidades - Jamais deve trabalhar sozinho ou querer realizar todas as tarefas. O verdadeiro líder é aquele que sabe delegar funções. Deve procurar envolver os homens da igreja em todos os trabalhos a realizar. Quanto mais colaboradores o presidente conseguir, mais dinâmico e organizado o Grupo será;
• Fazer controle administrativo - Mesmo com a diretoria formada, o presidente deve fiscalizar diretamente o movimento de tesouraria, controle de sócios, prestação de relatórios, etc;
• Prestar contas - O presidente é o elo entre seu Grupo e a igreja. Deve manter estreita comunicação com o pastor, informando-o sempre de tudo o que acontece;
• Apresentar relatório ao pastor local e ao coordenador regional mensalmente;
• Atender às convocações para reunião ou trabalhos específicos;
• Participar dos encontros regionais, congressos estaduais e nacionais.

4.2 - Vice-Presidente

Encarregado de prestar todo apoio ao presidente, não somente nas diversas áreas de atuação do Grupo, mas representando-o quando de algum impedimento. Na ausência do presidente, é o responsável direto pelo GMH.
Suas responsabilidades são as mesmas do presidente.

4.3 - Secretário (s)

Responsável (is) pelo perfil organizacional do Grupo. Deve (m) ter bom nível escolar e noções de informática. Através do (s) secretário (s), é possível conhecer um Grupo organizado. Dentre suas responsabilidades estão:
• Redigir e enviar as correspondências do Grupo;
• Redigir e ler as atas das reuniões de diretoria;
• Executar serviços de digitação e informática;
• Arrolar todos os sócios do Grupo, criando um cadastro;
• Preparar as carteirinhas dos sócios;
• Fazer o controle de freqüência nas reuniões;
• Enviar cartão aos aniversariantes do Grupo;
• Fazer o relatório espiritual do Grupo, reunindo os dados fornecidos pelos líderes de departamentos;
• Organizar e manter os arquivos do Grupo;
• Manter a diretoria informada de tudo o que acontece no Grupo;
• Organizar todos os dados e detalhes relativos ao Grupo e manter o controle de tudo o que acontece;
• Ser fiel e bastante responsável em tudo o que diz respeito ao Grupo;
• Reunir dados de todos os departamentos para preencher o relatório mensal do Grupo;
• Apresentar sugestões e idéias para trabalhos e eventos que venham contribuir para o crescimento do Grupo;
• Ser humilde e submisso às autoridades, tanto da igreja quanto do Grupo;
• Organizar as diversas etapas de um evento, trabalho ou campanha junto aos demais membros da diretoria;
• Colaborar com o presidente em tudo o que for necessário para o desenvolvimento do Grupo;
• Ser dinâmico (s) e prestativo (s).

4.3 - Tesoureiro (s)

Responsável (is) pelas finanças do Grupo. Deve (m) ser de total confiança e bastante competente, com experiência em manuseio de dinheiro, contas e que tenha, pelo menos, noções sobre relatórios financeiros e livro-caixa. Dentre suas responsabilidades estão:• Manter a contabilidade de todo o movimento financeiro do Grupo (mensalidades, ofertas gerais, vendas de lanches, livraria, ofertas de campanhas, inscrições de eventos, etc. Todas as saídas deverão ter comprovante, nota fiscal ou recibo. Nenhuma saída deverá ser efetuada sem autorização prévia do presidente.);
• Fazer registro financeiro de cada reunião e evento do Grupo, especificando cada item de entrada. Normalmente, o Grupo tem relatório de movimento de culto;
• Manter registro fiel do movimento financeiro do Grupo no livro-caixa;
• Organizar em pasta ou arquivo todos os comprovantes financeiros, separados mensalmente;
• Fazer e enviar os relatórios mensais ou trimestrais e a taxa para o coordenador regional. Os relatórios devem ser assinados pelo presidente e secretário do Grupo;
• Participar de todas as reuniões de diretoria, bem como de todos os trabalhos, reuniões e eventos do Grupo, colaborando no que for necessário;
• Deve (m) sempre acatar as determinações do pastor da igreja e do presidente do Grupo a respeito do tipo de contabilidade que deverá efetuar, se o Grupo abrirá conta bancária ou não, etc. Jamais entrar em conflito com algum membro da diretoria;
•Ter sempre em mente que não é dono do dinheiro do Grupo. Todas as decisões devem ser tomadas em concordância e aprovação da diretoria;
• Efetuar o termo de abertura e encerramento do livro-caixa do Grupo, sendo que ambos serão assinados pelo presidente, bem como todas as folhas do mesmo;
• Ter vida espiritual exemplar, ser totalmente confiável e discreto (s) no desempenho de suas funções e fiel (is) aos seus líderes;
• Prestar contas à diretoria de todo trabalho financeiro realizado e mantê-la informada do saldo do Grupo;
• Administrar seu tempo, de maneira que possa dedicar-se à organização financeira do Grupo;
• Ser simpático (s) e amigo (s) de todos os sócios;
• Sugerir campanhas financeiras que angariem fundos, incentivando a participação de todos;
• Controlar o pagamento das mensalidades e dar o exemplo, sendo o primeiro a pagar.

5 - Departamentos

5.1 - Evangelização ou Evangelismo

Responsável pelos trabalhos de evangelização pessoal, de preferência, com mais de uma pessoa. Como o próprio nome determina, promove a obra de evangelização no Grupo em todos os níveis. Dentre suas principais funções se destacam:
• Promover cultos evangelísticos nas casas dos sócios, em ar livre e na própria igreja;
• Mobilizar todo o Grupo para o trabalho evangelístico, promovendo campanhas de conscientização sobre a importância do evangelismo e a responsabilidade pessoal de cada sócio diante de Deus;
• Organizar avanços missionários nas áreas próximas à igreja, com distribuição de folhetos, convites para eventos, porções bíblicas, etc;
• Organizar e realizar, com aprovação da diretoria, campanhas evangelísticas, trazendo preletores convidados e incentivando os sócios a trazerem visitantes nessas reuniões;
• Promover visitas a hospitais, cadeias e presídios;
• Relatar, por escrito, à diretoria as atividades desenvolvidas pelo departamento.

5.2 - Lazer

Responsável pelos entretenimentos:
• Futebol e outros jogos;
• Passeios com as famílias;
• Pescarias.

5.3 - Musical

Responsável pela programação e atividades que desenvolvem o talento musical e artístico do Grupo, bem como o despertamento para o louvor e adoração. Dentre suas principais funções se destacam:
• Apresentação de duplas, conjuntos, etc;
• Coreografias;
• Ensaios de cânticos, hino oficial do GMH, etc;
• Preparação do louvor dos cultos residenciais.

5.4 - Oração ou Cultivo Espiritual

Responsável pela vida espiritual do Grupo. Incentiva os sócios no desenvolvimento da vida cristã. Dentre suas principais funções se destacam:
• Promover reuniões de oração, jejum e estudo bíblico com a participação de todos os sócios;
• Organizar o programa das reuniões semanais do Grupo, juntamente com a diretoria, procurando realizar um culto alegre e dinâmico;
• Convidar, com aprovação do presidente e do pastor da igreja, pregadores especiais e atrações musicais para dinamizar as programações do Grupo;
• Preencher o relatório espiritual de cada reunião oficial do Grupo em conjunto com o presidente e o tesoureiro;
• Relatar mensalmente suas atividades para a diretoria do Grupo;
• Incentivar todos os sócios à participação em todas as reuniões semanais e programações especiais, não forçando, mas despertando o interesse de cada um através de um programa atraente e de bom nível;
• Programar retiros espirituais, incentivando o batismo com o Espírito Santo;
• Vigília em lugares em que o sossego público não seja violado;
• Campanha de leitura bíblica;
• Manhã da Oração (nos domingos ou feriados).

5.5 - Social

Responsável pelas reuniões sociais do Grupo:
• Aniversário do (a) pastor (a) e sua (eu) esposa (o);
• Aniversário do presidente do Grupo;
• Aniversário dos sócios do Grupo;
• Atividades esportivas;
• Dia do Pastor - 1º domingo de outubro;
•Elaboração de boletins informativos que falem da programação e novidades do Grupo;
•Festa de confraternização de final de ano.
Esse departamento pode também agrupar o Departamento de Assistência Social que viabiliza a arrecadação e distribuição de alimentos, cestas básicas, agasalhos às famílias necessitadas, entre outras atividades de cunho assistencial.

6 - Atuação

6.1 - Nível Local

O Grupo Missionário de Homens deve reunir-se mensalmente para comunhão entre os sócios, planejamento de atividades e prestação de contas da diretoria. Nessas reuniões, é essencial que tenha um período de oração, louvor, leitura e discussão de um texto bíblico. Sugere-se que haja uma confraternização no término de cada reunião, com petiscos, sorteios, gincanas, etc.
A diretoria também deve reunir-se mensalmente, a fim de apreciar os relatórios da tesouraria e dos departamentos. Não poderá reunir-se se não tiver metade mais um de seus membros.

6.2 - Atividades Externas

• Congresso Nacional de Homens realizado nos anos pares;
• Simpósios e seminários nacionais;
• Congresso Estadual de Homens realizado nos anos ímpares;
• Simpósios, seminários e cursos de treinamento estaduais;
• Encontro Regional de Homens.

7 - Coordenadorias

7.1 - Coordenadoria Nacional

A coordenadoria nacional administra o Grupo Missionário de Homens em todo Brasil, providenciando suporte para que o mesmo cresça. Seu principal objetivo é formalizar estratégias de trabalho e assessorar os líderes.
Nomeado pelo Conselho Nacional de Diretores, o coordenador nacional é representante direto do GMH junto ao CND. Tem, sob sua orientação, todas as coordenadorias estaduais, regionais e os presidentes dos Grupos Missionários locais. Convoca e elabora o congresso nacional, de 2 em 2 anos, bem como os demais eventos em âmbito nacional. Recebe relatórios e taxas dos coordenadores estaduais e presta relatórios à convenção nacional, reportando-se diretamente ao Conselho Nacional.
Nomeia, por indicação dos presidentes estaduais e superintendentes ou diretores de campo, os coordenadores estaduais e regionais.
Não existe um tempo limite estipulado para sua gestão, porém, sua nomeação é renovada anualmente.

7.2 - Coordenadoria Estadual

A coordenadoria estadual realiza o mesmo trabalho da coordenadoria nacional em âmbito estadual. Seu principal objetivo é reunir os coordenadores regionais e orientá-los em suas atribuições, na formação dos Grupos Missionários de Homens, treinamento de novos líderes e planejamento do crescimento do GMH.
O coordenador estadual é apresentado pelo Conselho Estadual de Diretores e nomeado pelo coordenador nacional. É credenciado anualmente pelo coordenador nacional em conjunto com o CED, aos quais se reporta. Tem, sob sua liderança, todos os coordenadores regionais do Estado, dando-lhes ajuda e suporte em todas as áreas concernentes à formação, treinamentos e desenvolvimento do Grupo Missionário de Homens.
É assessor direto do coordenador nacional e, juntamente com ele, nomeia os coordenadores regionais sob indicação dos superintendentes ou diretores de campo. Por sua vez, deve formar sua própria assessoria, composta pelos coordenadores regionais, designando os cargos de secretário e tesoureiro.
Convoca e elabora o congresso estadual, de 2 em 2 anos, bem como seminários, simpósios e cursos de treinamento em nível estadual.
Visita as diversas regiões do Estado, procurando, na medida do possível, participar ou fazer-se representar nos eventos promovidos por elas.
Deve manter em ordem os livros administrativos e um arquivo constante de todos os programas, planejamento de trabalho, relatórios, estatísticas e fichário atualizado de seus coordenadores regionais.
Presta relatório mensal ao coordenador nacional, anexando a devida taxa de 10% sob a arrecadação recebida pela coordenadoria regional.
O período recomendado para sua permanência no cargo é de 3 anos consecutivos.

7.3 - Coordenadoria Regional

A coordenadoria regional é o elo entre o GMH local e a coordenadoria estadual. É ela quem tem contato direto com os presidentes e diretorias do Grupo. Sua principal tarefa é motivar os presidentes, reunir-los para planejamento de metas e fornecer o máximo possível de ajuda para o trabalho.
O coordenador regional é indicado pelo superintendente ou diretor de campo e credenciado pelo coordenador nacional, em concordância com o coordenador estadual. Reporta-se ao superintendente regional ou diretor de campo, ao coordenador estadual e ao coordenador nacional, respectivamente.
Convoca e elabora, anualmente, um encontro regional (não congresso) onde se reúnem todos os Grupos Missionários de Homens, sob sua coordenação.
Deve formar uma assessoria para auxiliá-lo no planejamento e execução das metas de trabalho, envio de correspondência, controle do movimento financeiro, organização de eventos e todas as demais atividades em sua região. É recomendável que esses assessores sejam da mesma igreja local onde o coordenador congrega, para facilitar a comunicação e reuniões deliberativas.
Recebe as taxas mensais dos Grupos de sua região e faz o registro no livro caixa, constando todo o movimento de entradas (taxas, inscrições de eventos, ofertas especiais, venda de impressos, etc) e saídas (despesas diversas com o trabalho da coordenadoria e elaboração de eventos), devendo haver comprovante de todas as despesas (nota fiscal ou recibo). Um de seus assessores deve encarregar-se do trabalho da tesouraria, porém, com sua assistência direta.

Presta relatório mensal ao coordenador estadual, anexando a devida taxa de 10% sob a arrecadação recebida pela coordenadoria regional.
É nomeado anualmente, porém, a critério do superintendente ou diretor de campo, pode ter sua nomeação renovada por um período recomendável de 3 anos consecutivos.

8. Pagamento de Taxas

Segundo os regulamentos complementares, ficam estabelecidas normas para o pagamento de taxas à coordenadoria regional, estadual e nacional:
• O GMH local paga 10% de sua receita mensal à coordenadoria regional;
• A coordenadoria regional paga 10% de sua receita mensal à coordenadoria estadual;
• A coordenadoria estadual paga l0% de sua receita mensal à coordenadoria nacional.

                          




 

 

 

Copyright 2009 - Igreja do Evangelho Quadrangular São José dos Pinhais
Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por Flexgrafi